quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Uma pedrinha no caminho!


Azul caminhava porque teria que chegar até o seu ponto no quadro.  Era lá que sentia ter que estar, sentia mesmo do fundo de seu tom que nascera para estar ali.  E mesmo que o caminho o desvia por vezes para outros pontos, outras cores que se diziam amigas e o levava para outras aquarelas, Azul não tinha duvida.  Era naquele ponto do quadro que iria estar. Mesmo que muitos o atrapalhassem e o desviasse Azul ia até o seu ponto.

Azul, encontrou muitas pedras em seu caminho tirou muitas pedras de seu caminho, algumas vezes eram rochas, e mesmo assim sempre achou força para lidar com elas. Vibrava às vezes, outas vezes cansado e exaustado ficava apagado, mas estava sempre em seu caminho.  Era a sua vibração de cor naquele quadro.

No entanto ultimamente Azul, estava se apegando demais as pedrinhas em seu caminho. Não as pedras, nem as rochas, mas as pedrinhas. As pedrinhas sim. Pequena pedrinha que encontrou em seu caminho e que varias vezes ignorou, chutou para o lado e desprezou.

Mas dessa vez, essas pedrinhas vinha lhe tomando muita força e atenção. Azul não seu deu conta, e investia força e tempo para  remover essas pedrinhas, que na verdade não lhe atrapalhava o caminho, era apenas chutar para o lado, desviar, ignorar e pular. Azul não conseguia e não pulava, ia tentava remover e às vezes sentia magoa por essas pedrinhas estarem ali, depois desanimo e até tristeza.

Azul perdeu dias tentando tirar as pedrinhas, e cansado e consumido por essa força em querer remover as pedrinhas que não atrapalhavam em nada o seu caminhar até o seu ponto no quadro, Azul olhou para si e se viu desbotado. Sentiu-se desbotado.

Então se sentou na beira do caminho, descansou, tomou mais luz e luz até chegar ao tom de sempre. Para isso, tirou as pequenas magoas as pequenas vaidades, os pequenos medo e acomodações e deixou as pequenas pedras para lá. Depois de se descansar se levantou e seguiu o seu caminho.

Sabendo que num caminho nem todas as pedras tem importância, nem todas as pedras parecem ter importância que lhe damos para atrapalhar a nossa caminhada.