sábado, 16 de abril de 2011

HENRIQUE.


                                               A descoberta!


Quando  tinha doze para treze anos, Henrique descobriu que alguns pentelhos começavam a nascer. Foi um momento confuso em sua vida. Porque simplesmente não tinha ideia do que estava acontecendo. Ainda era um menino que gostava de futebol, desenho animado e descobrir novas brincadeiras e assim como um passe de mágica ao tomar o seu banho percebe que já estava ficando um homem. Putz! E agora!

Henrique não sentia vontade alguma de deixar de ser criança , não lhe passava pela cabeça ter que deixar de ser o queridinho da mamãe, o preferido do papai. E muito menos deixar os amigos: Caraca! Será que eles também estão ficando homens. Se estiver, baubau  brincadeiras. E todos os homens  levam uma vida chata. Trabalho, bar, bebida filhos. Tudo o que não cabia em sua vida.  Mas porque a vida tem que ser assim. Porque  temos que crescer!

Henrique, tomou o seu banho, jantou e foi dormir. Estava chateado, cabisbaixo e não quis saber de assistir desenhos animados nem ir brincar com os amigos. Aquilo era demais e era como se o mundo estivesse acabando. Dormiu, acordou as seis da manhã para ir para a escola, voltou pra casa se trancou assistindo tv e quando foi tomar banho, novamente estavam lá. Os malditos pentelhos e pareciam maiores do que antes. Era o fim de sua vida, o fim de tudo. Tudo parecia sem prazer. E  reclamando e se esfregando e se lavando, começou derrepente a tocar o seu pênis. Massageando, e sentindo algum prazer. E o vendo erecto agora, tinha certeza de que já ia se tornando um homem. E começou a se masturbar, pensando primeiramente em si. No seu pênis erecto. Depois com a velocidade dos movimentos uma coisa que nunca sentiu antes começou a esquentar sua virilha. Henrique quis enfiar em algo quente, úmido e apertado o seu pênis. E então uma tontura breve atacou e  fechou os olhos fortemente apertando a sua mão no pênis e com a outra mão segurou na parede. Gozou

Sentindo um prazer nunca antes descoberto, onde uma descarga de energia parecia correr até o seu cérebro e descer pela espinha. E quando abriu os olhos percebeu o líquido viscoso que saiu de seu pênis.  E como a um passe de mágica e ainda que não aceitasse, agora tinha certeza que era um homem. 
O prazer de gozar nunca mais saiu de seus sentidos. E todos os dias, o descobria. Descobrindo que ser homem era bom.
Henrique, mesmo com sua tenra idade  descobrira em sua vida que mudanças sempre nos trás algo de bom.  Logo depois, descobriu-se um pouco mais alto. E passou a ver nas  meninas com outros olhos o que não via antes. Sentindo atração por partes de seus corpos que não sentia antes. Ou ficando irritado mais facilmente. Dormindo mais. Definitivamente estava se preparando para  as próximas mudanças que a vida não o poupara..

Mudanças, descobertas, sentimentos novos que parecem não ter mais fim enquanto  há vida. E não imaginamos chegar tão longe...