domingo, 24 de julho de 2011

Carência! A pessoa carente está a mercer dos vampiros de alma.

Não tem jeito sempre que estamos carente, abrimos a porta para que aproveitadores entre em nossas vidas. Assim como  mais problemas.

Quem não passou por isso já na vida. Estar carente, ou sofrendo de solidão ou por alguém. É um momento de perigo para o ser que esta carente.  Porque quem está carente, parece ficar cego das outras oportunidades da vida. A baixo estima se instala e ela nos faz acreditar que somos um zero a esquerda, uma merda de pessoa.
http://migre.me/t8JaN

 E como um S.O.S , um pedido de socorro, para levantar a nosso estima,  começamos a procurar qualquer pessoa. E no menor piscar de olho dessa pessoa ou algum elogio corriqueiro do dia a dia, pronto achamos que essa pessoa se não esta gostando de nós certamente é uma grande possibilidade de um grande amor. E ai investimos todas as nossas fichas e principalmente o sentimentos confusos e debilitados que estamos. É uma doença que afeta a nossa alma, se dermos sorte essa pessoa nos dispensa rapidamente. Mas se for um aproveitador ou aproveitadora, certamente vai nos envolver nos explorar nos machucar. E ai pronto, estaremos  só novamente e propicio a novos problemas. http://migre.me/t8J1X

Eu tenho o caso de uma amigo que carente depois de um relacionamento mal sucedido encontrou uma dominadora em sua vida. Ela fez dele o que bem entendeu, o fez perde  a amizade com nós. Comprar a casa que ela desejava, e dia a dia ela foi dominando cada vez, o fazendo crer que ela era a mulher da vida dele. E ser dominado é como uma droga, a gente nunca percebe que esta envolvido. Nos vendemos como ser,vendemos a nossa vida para o outro. Até que um dia ele encontrou uma menina que gostava dele realmente, mas ai ele não conseguiu se livrar da pessoa dominadora. Para ele agora era confortável estar com ela.Não corria mais o risco de ficar só. Mesmo ela explorando  e dominando-o. Outro romance em sua vida nem pensar. Já pensou em lagar a pessoa que estava mesmo o fazendo infeliz e começar uma nova relação em que não se sabe como seria, e se seria? Ele optou pela infelicidade, pelo menos ele sabia onde pisava.

Eu admiro quem consegue  se curar de um relacionamento e ficar pronto para outro sem medo e sem neura. Essas pessoa conseguem geralmente encontrar a sua cara metade, se existe uma cara metade. E serem felizes.  Seria tão bom se existisse um manual de como lidar com a carência. http://migre.me/t8Jkl
 

Mar, Martine e o por do sol.

Tomei uma dose de Martine , um suco de laranja gelado e agitei, fazendo uma nova versão de caipirinha.  Ficou bom, mas bom estava o mar a frente de meus olhos, nesse inverão, inverno com verão, que estamos vivendo.  

E fiquei esperando ele chegar, o por do sol. A praia  parecia não se importar com os poucos frequentadores.  Litoral norte, sempre te surpreende.  Era bom se sentir, sendo parte do mundo. Eu, a praia, o sol, o mar e o martine que preparei. 

Eu estava de passagem apenas por aquela cidade litorânea, mas não poderia deixar de aproveitar esse meu momento. A gente se sacrífica tanto por um bom trabalho que temos que representar  e as vezes nos se obstar  de nós mesmo  o tempo todo. 

Mas viver um momento como eu vivi, comigo mesmo, me deu a ideia  da neurose que vivemos. A loucura de ser o melhor, ser o bom o tempo todo. O sol o mar e o martine não tão nem ai se somos os melhores, ou o zero a esquerda que muitos e nos mesmo sempre nos classificamos. 

Eles estão ali, para quem desejar e quiser aproveita-los. Então o por do sol veio, e como uma poesia dos céus me penetrou a alma, acalmou os meus medos,  e mostrou que as minhas angustias, não passam de minhas angustias. Apenas isso.  

A noite veio estrelada, tomei os resto do martine voltei para o hotel dormir a noite mais leve de minha vida, e no dia seguinte me dirigi rapidamente para a cidade de São Paulo, entrei no horário cumpri a minhas obrigações agora mais leve do que nunca, e a noite resolvei aproveitar  a minha vida. São Paulo não tem um por do sol assim, nem mar. Mas tem martine, as pessoas que eu gosto e o momento que eu posso desfrutar com elas. 

domingo, 17 de julho de 2011

Novamente o outro?

Novamente esse ser que nos incomoda e ao mesmo tempo nos encanta e para o bem ou mal, é indispensável

Sim estou falando do outro novamente. O assunto recorrente. E estou falando desse outro que está ao nosso lado a noite quando voltamos para a casa, quando acordamos, quando nos irritamos e quanto precisamos de carinho, colo e compreensão. De esse outro que é o amor de nossa vida. O amigo que sempre pedimos ou o nosso desafeto, o mala que queremos evitar. Não tem jeito sempre tem um outro em nossa vida. Não é tão fácil esse outro, e para a grande maioria das pessoas indispensável. Há nessa santa vida alguém que não tenha  um outro em sua vida?

Mas porque o outro, sempre o outro. Por que o outro antes de tudo é a nossa maior conquista. E queremos acreditar ser essa conquista totalmente do bem. Podemos mudar de emprego, mudar de cabelo, mudar de sexo, mas mudar de parceiro é sempre algo complicado, doloroso e estamos sempre levando esse outro conosco, seja aquela canção em que nos faz lembrar momentos sublimes, seja por momentos de dor. 

É inacreditável  a quantidade de pessoa que sofre por outra pessoa! E mesmo aqueles que   dizem não estar nem ai para o outro, sempre há um maldito pensamento, mesmo que pequeno uma lembrancinha que nos faz lembrar do outro. Tocamos a vida é claro, criamos filhos, matamos e construímos sonhos, novos desejos e outros velhos sentimentos que se tornam novos sentimentos com um outro novo que buscamos nessa nossa vida.

Não tem jeito, sempre estamos em busco do outro, atrás do outro, vivendo pelo outro. As vezes somos o outro para outro. E mesmo aquele que não quer saber do outro, na verdade esta é fugindo do outro.  Tenho esperança que um dia entenderemos porque o outro é tão indispensável em nossa vida. Alguém ai tem essa resposta?

sábado, 16 de julho de 2011

Meio a meio.

Estamos vivendo um mundo de excessos, e paradoxalmente um mundo de escassez. 
Temos excessos de vaidade e escassez de conteúdo.
Há excesso de homens com muito dinheiro e excesso de muitos homens sem dinheiro.
Há excesso pelo corpo perfeito. Há excesso de relapso do corpo.
Há excesso de famintos. Há excesso de obesos.
Excesso por dinheiro fácil. Escassez por dignidade.
Excesso de poder. Escassez de reflexão. ...
E ai vai.... há tantos excessos e escassez...
Porque  entre o excesso e a escassez , não colocamos a ponderação o que criaria o bom senso.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Antônia, e sua coragem.

Antônia ficou grávida aos dezessete anos e seu pai a expulsou de casa e seu namoradinho não fugiu, mas nunca mais a desejou nem a quis, tinha a sua vida e foi cuidar dela. E nessa vida Antônia não tinha lugar, nem o seu filho.  Antônia foi para um abrigo de menores em gestação  cuidada por uma ONG, teve o seu filho.

E teria que se virar para cuidar daquele ser, tão frágil, tão seu. Tão mais frágil do que ela. Ele dependia de sua força e coragem agora. Arrumou emprego e voltou a estudar. E mesmo assim por algumas vezes teve que morar na ruas de São Paulo, amamentando o seu filho enquanto alguns individuo usavam crack próximo. Antônia, esperta sabia que não poderia entrar naquela roubada, mesmo a solidão de todos os dias, e estar-se só nesse mundo sem pais e amigos, não poderia se perder naquele mundo escuro. Apenas ela e o seu filho. 

Antônia como mãe não queria deixar o seu filho de forma alguma, a sua razão de viver passou a ser ele. Mas estava difícil. A ONG havia feito a sua parte lhe dando emprego e bolsas de estudo e não tinha mais recursos para abriga-la. Antônia então, estudando e trabalhando passou a  deixar o seu filho numa creche durante o dia e a noite  iam os dois dormindo ao relento. Um dia achou melhor  dar dignidade a seu filho e o colocou em um orfanato.  Seria por algum tempo e quando estivesse estabilizada o tomaria novamente.

A primeira noite dormindo na rua sem o seu filho doeu, mas ele estava melhor no quentinho do orfanato. O frio terrível da cidade de São Paulo estava chegando.  Antônia então passou a trabalhar nos finais de semana, ajuntando dinheiro para alugar uma casa. Estudava a noite, tomava o seu banho nos abrigos de cidade, e dormia na rua  porque nos abrigos sempre se pode ser estuprada. Antônia decidiu que não queria mais violência em sua vida. Nenhum tipo de violência e ofensa. Sempre estava sorrindo, lidando com educação com as pessoas e por tudo o que passava, não se sentia a infeliz. Antônia sentia esperança em cada dia. E em cada dia essa esperança  a levava  mudar a sua vida e lutava para isso.

Sempre ia ao orfanato ver o seu filho, ele estava bem. Ela então se fortalecia nisso. Um dia encontrou o pai de seu filho usando crack, estava acabado, magro e comido pela droga. Ele não a reconheceu e ela deu graças a Deus dele ter lhe metido um pé na bunda. E isso a fortaleceu mais ainda.

Alguns meses depois Antônia com bastante grana, alugou uma casa pequena próxima a uma creche da prefeitura. E comprou alguns poucos moveis necessários,  fez uma boa compra de alimentos.  E foi buscar o seu filho no orfanato. A responsável do orfanato a chamou em sua sala e disse que havia uma família rica querendo adotar o seu filho. E eles até mesmo pagariam para ela...
- Mande eles enfiarem esse dinheiro no cu deles.
-Mas...
- Eu não sou mulher de vender o meu filho. Se o coloquei aqui é porque eu precisava, mas agora não. Eu vou levar o meu filho. Ele tem mãe, e quero que tenha orgulho de mim. Aqui está cheio de crianças para serem adotados. Porque esses ricaços não adotam? 
-  Porque são crianças negras.Bem nosso país é racista você sabe disso. Dizem que não. Mas é racista sim. E essa crianças não tem muito futuro além desse orfanato.
- Pois bem , eu posso adotar uma criança.
-Ainda não tem idade para isso.
- Ano que vem faço dezoito anos. E ai vou adotar uma criança dessas que essa família não quer. E juro por Deus que essa criança vai ter orgulho de mim.

A diretora ficou sem palavras. Mas Antônia não. Ela reviu a guarda de seu filho o levou para a casa. Continuou os seus estudos, agora pagava para uma adolescente da ONG  gravida dormir em sua casa e cuidar de seu filho enquanto ela estudava. No ano seguinte se formou em administração de empresa, curso técnico e arrumou um cargo de encarregada de setor numa loja de departamento. "Ganhado" três vezes mais do que antes. Colocou o seu filho numa escola particular, financiou um apartamento e quando novamente foi promovida, agora para o cargo de gerente de setor nessa mesma loja, lembrou-se do orfanato e votou lá e conseguiu a guarda de uma menina linda negra e com cinco anos. Lembrou-se de seus pais mesmo a distancia que eles lhe impuseram. E convidou os seus pais para um almoço e ver a sua família e suas conquistas. 
O seu pai  ficou surpreso mas não deixou a sua ignorância de lado.
- Como conseguiu tudo isso? Você andou se prostituindo?- perguntou ele.

Antônia entendeu então que a vida lhe foi generosa quando a colocou só no mundo. Antônia pode fazer o seu próprio mundo, longe das mentes estreitas e derrotistas de seus pais. E valeu para ela o ditado que diz que nessa vida há coisa que é melhor perder do que achar.  Mandou o seu pai tomar no cu e disse que a porta estava aberta de sua casa para eles, mas que por favor não trouxessem intolerância nem ignorância.Agora ia começar  um curso de línguas, fazer uma faculdade e curtir a sua família. Nunca mais iria deixar alguém lhe ofender, nem lhe tirar o prazer de viver. 

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Estar só?

Ando pensando que as pessoas confundem os próprios sentimentos. É comum encontrarmos amigos que nos vem com aquela frase. " Estou só e sem ninguém" ou " O que eu tenho que não fico com quem gosto"
Já postei no blog sobre pessoas  que  estão em estado de paixão, gostando de alguém. A gente pode estar gostando de alguém mas isso não quer dizer que o alguém que estamos gostando tem que gostar de nós. Bem. Quanto ao estar só  é mais complicado do que não ser correspondido pela pessoa amada. Porque geralmente quanto o estar só " pesa" e se torna um transtorno par a pessoa claro que é um problema sério e pode se tornar crônico.  Quem estiver se sentindo só naquela solidão de uma paixão que se foi ou pela falta de amigos procure  mudar o jogo. Como? 
Realizando. Realizar seja o que for, sempre nós dá um prazer  que parece tocar a alma. Realizar o que?
Realizar um sonho antigo. Ah, não consigo, mas tente. E só pelo fato de começar a tentar a realizar a sua vida parece ser preenchida.  Procure fazer um curso. Ir a feiras. A igrejas. Entrar para alguma ONG. Participar mais de eventos no trabalho, na escola. Uma rede social. Viajar se puder. A vida é cheia de possibilidades e a solidão certamente pode ser uma oportunidade para novos horizonte em sua vida. Estar sem ninguém não e se sentir só. E se estiver com alguém e se sentindo só , procure primeiro ver nessa pessoa as qualidades que mais te toca, se não valer a pena então procure outra pessoa ou  procure se reencontrar. Assim como a vida, temos tantas possibilidades dentro de nós.  E as vezes a solidão de um perioldo de nossa vida, pode ser uma chave abrindo esse ser que somos e ignoramos. Ter objetivos na vida, sempre nos torna mais forte para caminhar. Se não tiver objetivos procure um  que se sintonize claramente com você. E vá enfrente. Como disse o grande poeta Fernando Pessoa: 
" ...Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena".

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Gente se manifeste.

O MINISTRO DOS TRANSPORTE   ALFREDO NASCIMENTO DO PR  É ACUSADO DE  ROUBAR NO MINSITÉRIO DE TRANSPORTE. E A EMPRESA DE SEU FILHO FATUROU 86 MIL POR CENTO COM PROPINAS E CORRUPÇAO. ENQUANTO ISSO AS NOSSA ESTRADAS SÃO PESSIMAS  E CAUSA MUITAS MORTES. ENTÃO GENTE TÁ NA HORA DE PROTESTARMOS CONTRA ESSES LADRÕES QUE NOS ROUBAM . MANDEM MENSAGEM PARA A CAMARA DOS DEPUTADOS PELA INTERNET . PARA O GOVERNO FEDERAL E PARA O PROPRIO PR. NÃO VAMOS NOS CALAR. TÁ NA HORA DE DAR UM BASTA NESSA CORRUPÇÃO.